Entenda a importância da vacinação para pessoas com diabetes

7 minutos para ler

A vacinação é uma importante medida utilizada para a prevenção de doenças. Sem dúvidas, os programas de imunização contribuem para reduzir a incidência de infecções e também diminuem a mortalidade consequente delas.

Muito se questiona sobre qual a indicação correta para cada vacina, seja considerando a faixa etária, seja considerando o estado de saúde da pessoa. Algumas vacinas são contraindicadas na gestação e outras não são recomendadas para imunossuprimidos, por exemplo.

Mas o que você sabe sobre a vacinação para pessoas com diabetes? Existiria alguma contraindicação? Ou a vacina seria até capaz de prevenir sua evolução? Continue a leitura!

Vacinação para prevenir e curar diabetes existe?

Antes de tudo, é preciso esclarecer a primeira relação, ou melhor, a não associação da vacina com a prevenção ou a cura do diabetes. Algumas pessoas acreditam que a imunização pode ser determinante para evitar a condição ou mesmo curá-la. Infelizmente ainda não foi encontrada a cura do diabetes e a melhor forma de prevenção é cuidar da saúde conforme a equipe médica recomenda.

Na verdade, as vacinas são instrumentos de prevenção. Porém, elas previnem apenas as doenças infecciosas, ou seja, aquelas causadas por microrganismos, como vírus e bactérias. Vale reforçar que, mesmo nessas doenças, o intuito não é a cura, mas sim diminuir o risco de contrair a infecção.

Por outro lado, o diabetes pode ser uma doença autoimune ou um acometimento metabólico, no qual as células do pâncreas produtoras de insulina perdem sua capacidade de gerar o hormônio. A causa em si vai determinar qual o tipo do diabetes, mas, seja qual for, não há relação com infecções ou microrganismos.

Importância da imunização

Então, como as vacinas não tem relação nenhuma com a prevenção ou a cura do diabetes, quer dizer que pessoas com a condição não precisam se preocupar com a imunização, certo? Errado!!!

As doenças infecciosas atingem todas as faixas etárias, cada qual submetida a maiores ou menores riscos de complicações. Para a prevenção de tais patologias existem duas medidas fundamentais e que devem ser seguidas por toda a polução: higiene e imunização.

Diante de tamanha importância foi criado o Programa Nacional de Imunização (PNI), que estabelece quais vacinas devem ser tomadas e qual a idade ideal para cada dose. De fato, existem vacinas disponibilizadas pelo SUS e outras que são oferecidas na rede privada, a fim de aumentar o estado de imunização.

Vale ressaltar que o sucesso do PNI pode ser observado com a erradicação e eliminação de diversas doenças. Contudo, caso a população deixe de se imunizar, há o risco de novos casos, como vem acontecido nos últimos meses com o sarampo, por exemplo.

Vacinação para pessoas com diabetes

Voltando então para as pessoas com diabetes, reiteramos que elas devem seguir o calendário de vacinação estabelecido. Da infância até a terceira idade, existem vacinas importantes, as quais devem ser recomendadas considerando cada caso.

Embora seja necessária uma análise da saúde como um todo para recomendar ou contraindicar uma vacina, dois aspectos devem ficar claros: o diabetes mellitus não é desaconselhável para nenhuma vacina e não há um nível glicêmico mínimo ou máximo para imunização.

Então, confira a seguir algumas vacinas essenciais para pessoas com diabetes!

Pneumocócica

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria causadora de infecções no trato respiratório. Suas complicações incluem doenças importantes, como pneumonia e meningite, que podem levar a um quadro grave de sepse.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, as pessoas com diabetes apresentam um risco maior de desenvolver as complicações. Então, mais do que nunca a vacina deve ser obtida, considerando que é a principal forma de prevenção.

Neste caso, a mais indicada é a conjugada pneumocócica 13-valente (PCV13). A eficácia em diabéticos atinge até 84%, estimulando defesa imunológica a longo prazo.

As faixas etárias ideais para receber a vacina são basicamente: crianças entre 2 e 23 meses e idosos acima de 65 anos. Ressaltamos que pacientes com insuficiência renal ou síndrome nefrótica devem ser aconselhados sobre a segunda dose.

Influenza

A influenza, ou gripe, é uma doença viral que acomete todas as faixas etárias, sendo que cerca de 10% da população apresenta pelo menos um caso de gripe anualmente. Sendo assim, a vacinação é recomendada a partir dos 6 meses, com ou sem diabetes.

Uma curiosidade sobre essa vacina é a necessidade de reformulação anual. Os vírus causadores sofrem uma grande variação no material genético, de modo que a vacina pode deixar de englobar determinada mutação.

Sendo assim, existem estudos frequentes para avaliar quais cepas estão mais prevalentes naquele determinado ano. Feito isso, as vacinas são reformuladas, englobando cada vez mais microrganismos de acordo com os casos vistos.

Portanto, anualmente ocorre uma campanha de vacinação contra a gripe. Em indivíduos com diabetes, a vacinação reduziu as hospitalizações em 54% e diminuiu a mortalidade em 58%.

Dupla e tríplice bacteriana

Quando falamos sobre a vacina dupla bacteriana, ou DT, estamos nos referindo à prevenção de difteria e tétano. A primeira doença é causada, principalmente, pelo Corynebacterium diphtheriae, que se reproduz e libera uma toxina de acometimento sistêmico. Já o tétano é causado pelo Clortidium tetani, que prejudica diretamente o sistema nervoso.

Já a tríplice bacteriana, ou DTP, inclui a prevenção contra a pertussis, ou seja, a Bordetella pertussis, causadora de coqueluche. É fundamental completar o esquema de vacinação contra tais doenças:

  • 3 doses de DT e reforço a cada 10 anos;
  • DTP substituindo 1 dose ou 1 reforço da DT.

Hepatite B

A hepatite B é uma doença viral transmitida sexualmente ou pelo contato com o sangue infectado. Muitas pessoas podem portar o vírus e não manifestar sintomas. Porém, as complicações da doença incluem cirrose e até mesmo câncer no fígado.

Diante da evolução crônica e os riscos associados, a melhor maneira de evitar a infecção é por meio da vacina. O esquema da vacina inclui 3 doses, as quais devem ser priorizadas para pessoas com doença renal crônica, doenças no fígado e aqueles que convivem com pessoas já infectadas.

Nós mencionamos apenas algumas doenças que podem ser prevenidas por meio da imunização. Reforçamos mais uma vez que a vacinação para pessoas com diabetes deve ser devidamente recomendada pelo médico, mas que a condição em si não é motivo para contraindicar alguma vacina. O manejo do diabetes é essencial para uma vida mais saudável, mas não se esqueça das demais medidas para manter a saúde em dia. Converse com seu médico e se atente ao calendário de imunização!

Ficou preocupado com o preço das vacinas na rede privada? Descubra agora mesmo as vantagens da previdência privada!

A WinSocial ajuda a planejar o seu seguro. Você pode fazer uma simulação gratuita em nosso site para começar a se proteger hoje.

Comentários

Você também pode gostar
-