Tipos de câncer mais comuns no Brasil: quais são eles? Confira!

Tipos de câncer mais comuns no Brasil: quais são eles? Confira!
7 minutos para ler

O câncer é uma doença de natureza maligna, resultante do crescimento desordenado de células de um determinado tecido do corpo. Existem vários tipos de câncer e, às vezes, podem invadir outros tecidos e órgãos próximos ou distantes.

Para que você tenha uma ideia da importância dessas ocorrências no Brasil, apenas no ano de 2020 as pesquisas registraram mais de 626 mil casos. Entre homens, há predominância do câncer de próstata (29,2%) e, entre as mulheres, do câncer de mama (29,7%).

Continue a leitura e conheça os tipos mais comuns de câncer no Brasil segundo a região do corpo em que se manifestam.

Próstata

A próstata é uma glândula constituinte do sistema genital masculino, situada logo abaixo da bexiga. Sua função principal é produzir um líquido componente do esperma e responsável pela proteção e nutrição dos espermatozoides.

A partir da maturidade, a próstata tende a crescer em tamanho. Trata-se de um processo natural benigno, mas que pode trazer alguns incômodos, como a necessidade de urinar várias vezes, com pouca quantidade de cada vez.

O câncer de próstata, no entanto, não se confunde com esse crescimento que vem com a idade. É uma doença séria e que ocupa o segundo lugar em ocorrências cancerígenas entre os homens. Em primeiro lugar, existe prevalência da ordem de 75% dos casos entre idosos com mais de 65 anos de idade.

Inicialmente, apresenta evolução silenciosa, sem sintomas. Quando estes surgem, assemelham-se aos do crescimento benigno, trazendo dificuldade para urinar e redução do jato urinário. Por outro lado, nas fases avançadas, pode provocar dor óssea, insuficiência renal e até mesmo infecção generalizada.

A detecção precoce da doença é a medida mais importante, com a realização de exames clínicos, laboratoriais e radiológicos. Acima de tudo, o diagnóstico da doença pode ser feito com a combinação de duas abordagens: o toque retal e a dosagem do PSA no sangue.

O tratamento do câncer de próstata pode envolver cirurgia, radioterapia e terapia hormonal, dependendo da intensidade da ocorrência. Da mesma forma, é importante realizar o diagnóstico o mais precocemente possível.

Mama

O câncer de mama é o desenvolvimento desordenado das células da mama, com apenas 1% dos casos entre homens. Existem diversos tipos em razão das células que o câncer atinge. A maior parte, no entanto, é constituída por carcinomas, que se desenvolvem a partir dos tecidos epiteliais que cobrem a maioria dos órgãos.

Alguns tipos evoluem mais rapidamente, enquanto outros são mais lentos. Como no caso do câncer de próstata, a idade aumenta a propensão, de modo que 80% dos casos ocorrem em mulheres com mais de 50 anos.

Alguns cuidados preventivos podem evitar a ocorrência de cerca de 30% dos casos ou sua percepção precocemente, por exemplo. Veja quais são:

Os principais sintomas indicativos são a presença de nódulo fixo, alterações na pele da mama e no mamilo e excreção de líquido anormal pelo bico do peito. No entanto, a confirmação diagnóstica só se dá por meio da respectiva biópsia de material colhido na mama.

O tratamento, por sua vez, vai depender da fase em que a doença foi detectada. Assim, podem ser utilizados o tratamento local, com cirurgia e radioterapia, ou o tratamento sistêmico, por meio de quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.

Colo do útero

O câncer do colo do útero se origina de infecções persistentes, provocadas pelo Papilomavírus Humano (HPV), e constitui o terceiro câncer mais incidente entre as mulheres. No entanto, a infecção por esse vírus costuma ser frequente e não provocar a doença na maioria dos casos.

Como o contágio é de natureza genital, o início precoce da atividade sexual e sua maior frequência aumentam as possibilidades de contágio. Mas sua detecção em tempo hábil permite o tratamento e a cura na quase totalidade das ocorrências.

A doença pode evoluir sem sintomas aparentes. Mas, em situação mais avançada, pode provocar sangramento vaginal intermitente ou após a relação sexual.

O exame preventivo, conhecido como Papanicolau, consegue detectar as alterações que se dão nas células e que poderiam evoluir para o câncer. Como resultado, as melhores medidas que as mulheres podem tomar para se prevenir consistem em reduzir os riscos de contágio sexual e realizar o exame periodicamente.

Além do exame, a vacinação implementada pelo sistema público de saúde protege meninas de 9 a 14 anos e meninos de 9 a 11 anos contra 4 tipos do HPV. As meninas devem continuar com a realização periódica do exame durante a vida, pois a vacinação não alcança todos os tipos do vírus.

Cólon e reto

Também conhecido por câncer colorretal e câncer do intestino, atinge parte do intestino grosso (cólon), a parte final desse intestino (reto) e o ânus. Quando sua descoberta é precoce, o médico pode tratar e curar.

Algumas condições ou hábitos podem desenvolver situações de risco para a doença, por exemplo:

  • idade a partir dos 50 anos;
  • excesso de peso corporal;
  • alimentação pobre em fibras;
  • consumo elevado de carnes processadas;
  • histórico familiar.

Os principais sintomas relacionados com o câncer intestinal podem ser assim relacionados:

  • alteração no hábito intestinal (horários e frequência de evacuação);
  • presença de sangue nas fezes;
  • perda de peso sem causa aparente;
  • dor abdominal;
  • produção de fezes muito finas e alongadas.

A detecção precoce desse câncer pode ser realizada por meio de pesquisa de sangue oculto nas fezes, assim como por endoscopia. O diagnóstico de confirmação requer biópsia.

O tratamento depende das condições de evolução da doença, sendo inicialmente mais frequente a cirurgia. Por exemplo, pode ser utilizada a radioterapia, associada ou não com a quimioterapia.

Pulmão

Atualmente, o câncer de pulmão é um dos tumores malignos mais frequentes em todo o mundo. O desenvolvimento da doença é lento e pode progredir por muito tempo sem sintomas aparentes.

Os sintomas mais comuns são constituídos pela tosse e pelo sangramento pelas vias respiratórias. Então, dependendo da localização do tumor, outros sintomas podem aparecer:

  • dor permanente no tórax;
  • dificuldade para respirar;
  • perda repentina de peso;
  • rouquidão persistente;
  • presença de sangue no escarro.

Cerca de 90% dos casos têm origem no tabagismo. No entanto, fatores genéticos, exposição a ambientes poluídos, existência de doença pulmonar crônica e alimentação rica em gorduras e deficiente em vitamina A podem facilitar o surgimento da doença.

Medidas como evitar o tabagismo, mesmo o passivo, adotar uma alimentação saudável e equilibrada e evitar locais poluídos são de grande valia na prevenção. O tratamento vai depender do tipo e da intensidade do tumor, assim como da área atingida, podendo envolver cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Como você pode ver, a maior parte dos mais importantes tipos de câncer pode ser abordada com cuidados preventivos e permite tratamento quando há o diagnóstico precoce. Portanto, ganha importância a condução de uma vida saudável e a realização dos exames preventivos.

Se você gostou deste post, compartilhe o conteúdo com seus amigos nas redes sociais.

Comentários

Você também pode gostar
-