Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
Seguro de vida: quem tem direito e como solicitar? - Blog WinSocial

Seguro de vida: quem tem direito e como solicitar?

Seguro de vida: quem tem direito e como solicitar?
6 minutos para ler

Ao contratar um seguro de vida, quem tem direito ao recebimento da indenização deve estar explicitamente indicado na apólice. Pode ser qualquer pessoa que o contratante declarar como tal, embora os beneficiários costumeiramente sejam o cônjuge e os filhos.

No entanto, o contratante deve tomar algumas medidas e, para isso, é importante conhecer o funcionamento do seguro de vida e como proceder para o recebimento da indenização. Este post vai tornar o assunto mais claro para você.

Continue a leitura e descubra tudo o que você precisa para desfrutar da tranquilidade que só o seguro de vida pode propiciar.

Como funciona o seguro de vida?

O contrato do seguro de vida, o qual conta com os direitos e responsabilidades das partes (seguradora e segurado), fica consolidado na apólice. Nela estão as principais informações referentes ao segurado, aos beneficiários, às coberturas, aos valores do prêmio e da indenização, entre outras.

Ao contratar um seguro de vida, o segurado escolhe as coberturas que estiverem mais adequadas à sua realidade, dentre as diversas opções existentes. Da mesma forma, define os valores de indenização que considera que lhe serão suficientes.

Ao mesmo tempo, a seguradora informa o valor do prêmio para as coberturas definidas e o valor da indenização no caso de ocorrência de sinistro previsto. Enquanto a empresa se obriga a realizar a indenização, o segurado se compromete a efetuar o pagamento do prêmio mensalmente.

De modo geral, o seguro de vida também indenizará a invalidez dentro do escopo previsto na apólice. As principais coberturas podem ser relacionadas a:

  • morte ( natural ou acidental);
  • invalidez permanente (total ou parcial);
  • invalidez funcional ou laborativa em razão de doença;
  • despesas médicas, hospitalares e odontológicas;
  • diárias necessárias em razão de incapacidade temporária;
  • diárias de internação hospitalar;
  • doenças graves.

Estas são as situações que a seguradora indeniza. No entanto, se houver óbito ou invalidez em razão de outra causa que não aquelas cobertas pela apólice, não haverá indenização.

Sendo assim, havendo um sinistro envolvendo qualquer previsão contratual, o contratante deve acionar a seguradora. Nesse sentido, é importante que os familiares estejam informados quanto à existência do seguro, das coberturas vigentes e das maneiras de realizar o acionamento da seguradora.

Como ocorre a indenização pelo óbito do segurado?

Ocorrendo um sinistro previsto na apólice e que leve ao óbito do segurado, a seguradora deve ser informada com a comunicação desse sinistro. Geralmente quem o faz é um parente próximo, quase sempre o beneficiário, que pode ser mais de uma pessoa, desde que indicada na apólice.

A(s) pessoa(s) indicada(s) como beneficiário(s) do seguro na apólice receberão a indenização pertinente em poucos dias após o falecimento do segurado. No entanto, alguns aspectos iniciais devem ser atendidos, como mostraremos a seguir.

Documentação necessária

Antes de acionar formalmente a seguradora, é preciso providenciar alguns documentos para informação imediata, enquanto outros poderão ser solicitados pela seguradora posteriormente. É comum a indicação de um formulário (aviso de sinistro) para ser preenchido com dados do segurado e as razões do acionamento, além de documentos como:

  • boletim de ocorrência, quando pertinente;
  • certidão de óbito, se aplicável;
  • certidões de casamento e de nascimento, dependendo do beneficiário;
  • RG, CPF e comprovante de residência dos beneficiários.

É interessante um contato antecipado com a central de atendimento para verificar a documentação inicialmente necessária. A maior parte dos sites das seguradoras, por exemplo, dispõe dessa informação.

Causas de morte aceitas

As causas de morte aceitas para fins de indenização pelo seguro de vida são aquelas oriundas de óbito natural ou em razão de acidente fatal. Além disso, por força do Código Civil, havendo óbito por suicídio cometido mais de 2 anos após a contratação do seguro, é necessário ter a indenização.

Formas de acionamento da seguradora

Para acionar a seguradora, a pessoa deverá contatar a respectiva central de atendimento. Este acionamento pode ser feito por via telefônica ou presencial. Desse modo, em muitos casos, também pelo site da seguradora, em página exclusiva para este fim.

Qual a importância do seguro de vida e quem tem direito?

Toda pessoa que preza pela tranquilidade de saber que em caso de uma ausência repentina, seus entes queridos estarão amparados financeiramente, são pessoas aptas para adquirir o seguro de vida. Mas, na verdade, a importância deste seguro vai muito além.

Considere, por exemplo, o planejamento financeiro da família e a expectativa de garantir que o padrão de vida não seja abruptamente alterado se houver uma partida inesperada. Nesse caso, a indenização do seguro de vida evita a necessidade de se desfazer do patrimônio familiar para a sobrevivência diária.

Ainda do ponto de vista financeiro, a relação custo-benefício desse investimento é muito favorável ao segurado. Portanto, basta considerar o montante aplicado mensalmente e o valor da indenização que pode vir a ser necessária a qualquer momento.

Leve em conta que a indenização do seguro de vida não se limita ao óbito do segurado. A condição de invalidez que impede a continuidade de suas atividades produtivas também é um fator de acionamento do seguro.

Da mesma forma, a ocorrência de doença grave que acomete o segurado. Na verdade, um seguro de vida pode ser devidamente customizado para atender às características e necessidades do segurado fazendo as devidas previsões na apólice.

Como escolher o seguro mais adequado?

Para fazer o melhor seguro para você e sua família é preciso ter algumas iniciativas a fim de obter a opção mais adequada. Acompanhe essas dicas indispensáveis para esse fim:

  • conheça detalhadamente suas necessidades pessoais e familiares;
  • considere o amparo necessário ao cônjuge na impossibilidade de você continuar provendo o sustento;
  • avalie as coberturas básicas e adicionais disponíveis à luz de suas demandas;
  • lembre-se da necessidade de uma assistência funerária;
  • conte com uma seguradora experiente e de confiança, bem estabelecida no mercado;
  • leve em conta os diferenciais inclusivos do seguro oferecido, especialmente no caso de doenças crônicas.

Como você pode ver, a importância do seguro de vida, quem tem direito à indenização e como proceder para o acionamento da seguradora são informações indispensáveis que devem ser compartilhadas com os familiares. Com isso, é possível tornar os trâmites ainda mais ágeis na necessidade de fazer uso do seguro.

Então, esteja sempre bem orientado quanto à segurança e amparo daqueles a quem você quer bem. Entre em contato conosco e descubra os diferenciais que a WinSocial oferece ao clicar abaixo:

seguro de vida quem tem direito

Comentários

Você também pode gostar
-