Renda fixa: conheça as vantagens e as desvantagens de investir

renda fixa
6 minutos para ler

O investimento em renda fixa tem a natureza de um empréstimo que o investidor faz para a instituição financeira. Com isso, seu retorno é o pagamento de determinado percentual como forma de lucro da operação.

Esse é o modelo mais popular de aplicação de dinheiro por pessoa física. Costuma ser também a primeira experiência do investidor iniciante, em razão de alguns benefícios que oferece.

O que é o investimento em renda fixa?

A renda fixa é uma modalidade de investimento no mercado financeiro em que os rendimentos são previsíveis, isto é, já são conhecidos no momento da aplicação. Assim, ao decidir investir seu dinheiro por esse caminho, você fica sabendo quanto poderá sacar depois do prazo definido.

Aplicações em renda fixa podem ser oferecidas por instituições financeiras de natureza pública ou privada. Os exemplos mais conhecidos dessa categoria disponíveis no mercado e que podem fazer parte da gestão financeira pessoal são:

  • a poupança;
  • o Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • a Letra de Câmbio;
  • a Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • o Tesouro Direto.

Nesse tipo de aplicação, é como se o investidor fizesse um empréstimo para a instituição emissora (banco ou governo) e, em troca, recebesse um valor a mais como remuneração, já definido no ato do negócio. A renda fixa segue regras específicas, próprias para cada um dos tipos de investimentos elencados.

Quais as vantagens do investimento em renda fixa?

A construção de uma reserva de emergência é uma das formas de se proteger de imprevistos financeiros. As modalidades de investimento em renda fixa são muito populares em razão de algumas vantagens que oferecem para o aplicador fazer o seu dinheiro render. Os principais benefícios que disponibilizam serão mostrados a seguir.

Segurança na aplicação

As aplicações financeiras em renda fixa, de modo geral, são seguras. O risco de perdas, nesses casos, pode ser muito menor quando comparado a outras formas de aplicação em renda variável.

De modo geral, quanto maiores os ganhos, maiores os riscos inerentes. Na verdade, quando se trata de optar entre renda fixa e variável, costuma-se falar em “ficar na segurança da renda fixa ou arriscar maiores ganhos na variável”.

Praticidade

Aplicações em renda fixa são simples, uma vez que as operações quase sempre podem ser feitas totalmente online. Isso facilita muito para o investidor, que pode realizar seus aportes no horário que planejar.

Além disso, as aplicações em renda fixa liberam o investidor do acompanhamento de uma carteira de investimentos diversificada. Assim, com a simples visualização do extrato de operações, todos os dados podem ser avaliados.

Liquidez elevada

Um dos riscos dos investimentos é a liquidez, ou seja, o potencial que uma aplicação tem para ser recuperada em dinheiro por seu proprietário. Nesse sentido, uma liquidez elevada significa maior tranquilidade para o investidor, pois, quando ele precisar, não terá maiores dificuldades para o resgate.

Vários produtos cujo rendimento é fixado oferecem elevada liquidez, sobretudo por apresentarem um grande volume de operações. O exemplo clássico é o Tesouro Direto, uma aplicação no Tesouro Nacional que, oferecendo liquidez diária, praticamente não opera com riscos dessa natureza.

Quais as desvantagens do investimento em renda fixa?

Apesar de sua popularidade, resultante das vantagens oferecidas, a aplicação em renda fixa apresenta algumas desvantagens que não devem ser desconsideradas na hora de optar pelo investimento. Conheça as mais significativas.

Baixo retorno financeiro

De modo geral, a aplicação em renda fixa oferece baixo retorno financeiro, isto é, o lucro é menor do que no caso de investimentos em renda variável. Como se viu antes, maior estabilidade e segurança quase sempre se dão às custas de um resultado menor.

Por sua vez, quando a economia do país se estabiliza com a manutenção dos juros em baixa, a rentabilidade dos investimentos em renda fixa vai se tornando menos atrativa. Além disso, os melhores resultados financeiros nesses papéis são obtidos proporcionalmente ao tempo em que o dinheiro permanecer investido.

Taxas incidentes

Os fundos de renda fixa nos quais o investidor aplica o seu dinheiro apresentam a desvantagem de se submeterem a impostos e taxas que reduzem os lucros obtidos. Assim, devem ser consideradas as seguintes possibilidades de cobrança:

  • o Imposto de Renda (IR);
  • o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF, quando houver resgate antes de 30 dias);
  • a taxa de administração (varia em função da complexidade do investimento);
  • a taxa de performance (apenas quando o desempenho é superado);
  • a taxa de entrada e de saída (menos comuns);
  • o come-cotas (pagamento semestral, em maio e novembro, do IR).

Carência

Alguns investimentos em renda fixa fazem uma exigência de prazo de carência para o resgate. Com isso, se houver necessidade de retirar o dinheiro aplicado, incidirão multas, com perdas significativas dos rendimentos que poderiam ser alcançados.

Nesse sentido, a carência é o inverso da liquidez. Assim, quando existe o prazo para o resgate, a liquidez diária, por exemplo, só ocorrerá após transcorrido aquele intervalo, no qual resgatar pode significar prejuízo.

Qual a importância de um seguro para a proteção do investimento?

Existem instrumentos financeiros conhecidos como derivativos, pois o seu valor depende de outro produto (deriva de outro). Os derivativos são utilizados, entre outros motivos, para proteger os investimentos ou as operações no mercado financeiro.

Assim, as opções funcionam como um seguro para as aplicações do investidor, ou seja, uma maneira de proteger o dinheiro aplicado. O objetivo é reduzir os riscos naturais dos investimentos, principalmente nos casos de renda variável, em que a expectativa de maiores lucros caminha junto com riscos também maiores.

Quando o investidor faz uso adequado, consegue de fato fazer a proteção de sua carteira de ações. Por essa razão, essas opções são conhecidas como compra de ações com seguro.

A aquisição de uma ação com seguro se dá quando o investidor adquire, ao mesmo tempo, uma opção de venda. Com isso, consegue assegurar o valor de venda definido até uma data determinada, mesmo que o mercado esteja pagando menos naquele momento.

Além disso, deve ser considerada a importância do investidor dispor de um seguro de vida para sua proteção e de sua família. Dessa forma, na ocorrência de um sinistro, podem ser supridas as principais necessidades dos seus entes queridos, sem o sacrifício de se desfazer dos investimentos (renda fixa ou variável) realizados.

Para esse fim, leve em conta a experiência de uma empresa especializada, como a WinSocial, para facilitar suas opções de proteção. Entre em contato conosco e descubra como se manter seguro!

Comentários

Você também pode gostar
-