Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
Como preservar a fertilidade durante o tratamento de câncer?

Como preservar a fertilidade durante o tratamento de câncer?

Como preservar a fertilidade durante o tratamento de câncer?
4 minutos para ler

De maneira conceitual, o câncer é uma condição que retrata a proliferação desordenada de células malignas. A pessoa pode realizar o tratamento de diferentes formas, como cirurgia, quimioterapia ou radioterapia, um dos cuidados para preservar a fertilidade.

Porém, nem sempre isso é possível, de modo que os pacientes precisam adotar medidas extras para garantir uma futura gestação. Mas, afinal, por que o tratamento inviabiliza a fertilidade?

Bem, lembre que o intuito é retirar do organismo as células malignas ou impedir a proliferação desordenada delas. Contudo, como as modalidades terapêuticas vão barrar apenas as células mutadas?

Entenda mais sobre o tratamento de câncer

De cara, vamos responder a pergunta: não é possível impedir a proliferação apenas de células malignas. Por esse motivo, a radioterapia e alguns tipos de quimioterapia vão atuar na divisão celular de células sadias.

Um dos problemas é a destruição justamente das células responsáveis pela formação do embrião, ou seja, as células germinativas. No caso das mulheres, elas são produzidas e mantidas nos ovários, que vão sofrer a ação do tratamento.

Já nos homens, as modalidades terapêuticas podem reduzir as células precursoras de espermatozoides. Logo, resulta em uma infertilidade temporária ou mesmo definitiva, ou seja, torna o indivíduo estéril.

Saiba o que favorece a infertilidade

O tratamento oncológico em si já é um fator que prejudica consideravelmente a fertilidade. Seja nos mais novos, seja nos mais velhos, se há o desejo de ser pai ou mãe no futuro, é preciso considerar algumas alternativas.

De modo geral, toda radioterapia oferece maior risco de infertilidade. Já no caso da quimioterapia, vai depender do tipo adotado. Porém, de maneira geral, até 50% das mulheres e 70% dos homens podem tornar-se inférteis

Além da infertilidade, como os ovários atuam regulando o ciclo menstrual, um impacto nessa glândula também pode resultar em uma menopausa precoce.

Veja o que pode preservar a fertilidade

Assim como os avanços da medicina possibilitam melhores tratamentos para o câncer, eles também viabilizam a preservação da fertilidade.

Os métodos mais conhecidos são os chamados congelamentos, ou criopreservação. Porém, a estrutura preservada pode variar, e isso também está associado a diferentes taxas de sucesso.

A criopreservação de embriões, por exemplo, alcança até 20% de sucesso após o descongelamento. No entanto, nesse caso, é feita uma fertilização in vitro que vai requerer os espermatozoides do parceiro.

Já a preservação de óvulos apresenta uma taxa de sucesso um pouco menor, já que eles são mais sensíveis às baixas temperaturas. A preservação de tecido ovariano também é uma opção, sobretudo para meninas que ainda não atingiram a puberdade.

Os homens não ficam de fora! Existe a criopreservação de sêmen, na qual os espermatozoides são submetidos a 196º negativos. Após descongelamento, são inseminados no útero da parceira enquanto nos dias de ovulação

Claro, falamos de maneira breve sobre como preservar a fertilidade, porém todas as técnicas são muito complexas e requerem profissionais capacitados. Só assim é possível optar pela melhor técnica e garantir uma boa execução dela. Agora, se a paciente já estiver grávida, não é recomendado o uso de quimioterápicos no primeiro trimestre, sendo que, nos meses seguintes, é preciso avaliar cuidadosamente o fármaco escolhido.

Gostou do conteúdo? Então acompanhe nossas redes sociais e não perca nenhuma novidade! Estamos no Facebook e Instagram!

Você sabia que a WinSocial acredita que pessoas com doenças crônicas de saúde também têm o direito de se planejarem financeiramente e protegerem as pessoas que ama? Diante disso, convidamos para conhecer um pouco mais dos nossos serviços ao clicar abaixo:

Comentários

Você também pode gostar
-