Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
Insuficiência cardíaca: o que é e como se relaciona com a hipertensão? - Blog Linha WinSocial

Insuficiência cardíaca: o que é e como se relaciona com a hipertensão?

Insuficiência cardíaca: o que é e como se relaciona com a hipertensão?
7 minutos para ler

O coração é um dos órgãos mais importante do corpo humano. Você sabia? Isso ocorre porque ele é o responsável por bombear sangue para as demais partes do organismo. Na corrente sanguínea, são transportados oxigênio e outros nutrientes vitais para as necessidades do corpo. Contudo, alguns problemas, como a insuficiência cardíaca, podem atrapalhar esse transporte.

Imagine uma empresa com o setor financeiro — encarregado de fornecer recursos para os demais setores — deficiente. É natural que o negócio seja prejudicado e, se a situação não for resolvida no tempo certo, ela pode entrar em falência. A mesma lógica ocorre com o corpo humano em caso de insuficiência cardíaca. 

Quer entender mais sobre o que é insuficiência cardíaca, as principais causas, os sintomas mais comuns, a relação com a hipertensão e muito mais? Continue a leitura e fique por dentro dessas informações!

O que é insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca consiste na incapacidade de o coração cumprir sua função: bombear sangue para atender as necessidades do corpo. Assim, ocorre uma espécie de congestionamento sanguíneo, caracterizado pelo acúmulo do fluido em partes do organismo, como pulmão, pernas e outros tecidos.

Ao falar em congestionamento, é possível que você associe essa expressão a um trânsito caótico, em que há dificuldade de circulação. A lógica é similar ao que ocorre no corpo humano quando o indivíduo passa por insuficiência cardíaca. Inclusive, os sintomas desse problema ficam mais nítidos com o avançar da doença. 

Quais são as causas mais comuns da insuficiência cardíaca?

Esse problema de saúde, por exemplo, costuma ser secundário e surgir a partir de outra patologia prévia que afeta o funcionamento do coração. As causas mais comuns são:

  • hipertensão arterial (pressão alta);
  • diabetes;
  • anemia;
  • doença arterial coronária;
  • doença pulmonar crônica;
  • arritmia cardíaca;
  • distúrbios de tireoide;
  • infecção do músculo do coração;
  • HIV/AIDS;
  • doença cardíaca congênita;
  • doença de válvula cardíaca;
  • doença de chagas;
  • sequelas da Covid-19;
  • etc.

Além de pacientes diagnósticos com as patologias acima, outras circunstâncias também são gatilhos para o surgimento da insuficiência cardíaca. É o caso de quem faz tratamento contra o câncer, como radioterapia e quimioterapia, que podem enfraquecer o coração. Do mesmo modo, ingerir excessivamente álcool e outras drogas também pode causar esse problema.

Qual é a relação da insuficiência cardíaca com a hipertensão?

Conforme mencionado, a hipertensão é uma das principais causas da insuficiência cardíaca. Inclusive, esse problema é responsável por mais da metade dos casos de insuficiência em pacientes brasileiros. Os dados são da Sociedade Brasileira de Cardiologia. 

A explicação é que a pressão alta sobrecarrega o coração, o que o enfraquece gradativamente. Logo, o órgão tende a diminuir sua capacidade de bombear sangue em quantidade suficiente para atender as demandas do organismo. 

Essa situação se torna ainda mais delicada porque a hipertensão costuma ser uma doença silenciosa. Assim, é comum que os indivíduos só percebam a existência dessa patologia em estágio avançado, em que é mais difícil tratar o quadro. Os sintomas mais comuns nessa fase são falta de ar em atividades diárias e inchaço em pés e pernas.

Apesar de o tratamento para hipertensão ser delicado, ele continua vital para a sobrevivência e a qualidade de vida dos pacientes. No entanto, isso inclui mudar o estilo de vida, como ao fazer exercícios físicos, evitar o estresse e adotar uma alimentação saudável. 

Ainda, tomar medicações e visitar regularmente um cardiologista também é necessário. Em casos mais avançados, o médico pode indicar transplante de coração ou a introdução de um marca-passo ou desfibrilador. Portanto, é sempre importante prevenir esse quadro, por exemplo, medindo frequentemente a pressão para garantir o controle.

Quais são os fatores de riscos para a insuficiência cardíaca?

Para maior prevenção dessa patologia, também é importante que alguns grupos da sociedade incluídos nos fatores de risco redobrem os cuidados. Os principais são:

  • hipertensão: como visto, a elevação da pressão arterial enfraquece gradativamente as funções do coração;
  • histórico de infarto: se você ou alguém da família já teve um infarto, é muito provável que tenha desenvolvido ou herdado uma doença cardiovascular;
  • diabetes: o aumento excessivo de açúcar no sangue, que caracteriza a diabetes, danifica vasos sanguíneos e o coração;
  • etc.

Quais são os principais sintomas da insuficiência cardíaca?

Você acompanhou ao longo da leitura que ficar por dentro dos sintomas é uma maneira de prevenir ou tratar uma doença rapidamente. Desse modo, os sintomas mais frequentes da insuficiência cardíaca incluem:

  • falta de ar;
  • memória prejudicada;
  • confusão;
  • sensação de cansaço;
  • problemas para dormir associados com incômodos respiratórios;
  • inchaço de pernas e pés;
  • perda de apetite e/ou abdômen inchado;
  • tosse com catarro;
  • aumenta da micção durante a noite;
  • etc.

Contudo, é válido mencionar que nem sempre os sintomas surgem nas fases iniciais, o que é ainda mais perigoso para a busca do tratamento. Ainda, algumas pessoas confundem os sinais emitidos com outras circunstâncias, como envelhecimento, estresse no trabalho etc.

Como é feito o diagnóstico da insuficiência cardíaca?

O alerta emitido pelos sintomas costuma ser o primeiro gatilho para a busca de um médico, responsável pelo diagnóstico da doença. No entanto, você já entendeu que nem sempre esse problema apresenta sintomas. Logo, é importante fazer consultas regulares com um profissional.

Ao chegar lá, ele deve analisar o seu estilo de vida, doenças presentes e passadas e histórico familiar. No exame físico, existe a verificação do coração, pulmão, pernas, abdômen e outras partes do corpo, que podem sinalizar a presença dessa patologia. Em caso de suspeita, podem ser solicitados testes de diagnósticos, como:

  • teste de esforço (teste de estresse);
  • ecocardiograma;
  • eletrocardiograma (ECG);
  • cateterização cardíaca;
  • radiografia do tórax;
  • etc.

Outra maneira de avaliar o funcionamento do seu coração é ao rastrear a sua função de ejeção ao longo do tempo. Isso consiste, por exemplo, na porcentagem de sangue bombeado para o corpo durante cada batimento. 

Como visto ao longo da leitura, existem diversas maneiras de diagnosticar a insuficiência cardíaca para tratar a doença adequadamente. Portanto, é essencial ficar de olho e não ignorar nenhum sinal emitido pelo corpo. Além disso, é essencial adotar medidas preventivas para evitar que o coração fique fragilizado e esse problema surja, como exercícios físicos, alimentação saudável etc.

E aí, conseguiu tirar suas principais dúvidas sobre a insuficiência cardíaca? Então compartilhe conosco e com os demais leitores o que você pensa sobre o assunto!

Comentários

Você também pode gostar
-