Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
O que é diabetes insípidus? Veja 4 sintomas para ficar atento - Blog WinSocial

O que é diabetes insípidus? Veja 4 sintomas para ficar atento

6 minutos para ler

Você conhece os sintomas de diabetes insípidus? Esse tipo de diabetes tem características bastante únicas, representando um problema na reabsorção do líquido pelo corpo.

O diabetes do tipo insípidus tem como característica mais lembrada o excesso de sede e vontade de urinar que provoca no paciente. Isso ocorre por conta da incapacidade dos rins em concentrar a urina, sendo que outra característica desse tipo de diabetes é a deficiência do hormônio antidiurético.

A informação é uma das principais aliadas da saúde. No artigo a seguir, você entenderá as características do diabetes insípidus e os seus sintomas para que você possa viver com um melhor bem-estar. Confira!

O que é diabetes insípidus e quais os seus principais tipos?

A condição se manifesta quando o corpo passa a ter dificuldades para reabsorver o líquido que foi filtrado pelos rins. Isso faz com que ele seja descartado pela urina, deixando de aproveitar os seus benefícios e fazendo com que o paciente vá mais ao banheiro.

Tanto a necessidade aumentada de urinar e a sede extrema são reações diretas a esse problema, tornando-se os sintomas mais reconhecidos da condição. 

É importante entender que existem múltiplos tipos de diabetes insípidus, mesmo que tenham sintomas equivalentes. Essas variações dependem de características do paciente e também de problemas em outros órgãos que podem causar o descarte de líquido filtrado pelos rins.

Os principais tipos de diabetes insípidus são os seguintes.

Diabetes insípidus central

Esse tipo de diabetes insípidus tem sua origem no sistema nervoso central. Ele se manifesta quando há uma lesão no hipotálamo ou na hipófise, que são as glândulas responsáveis pela produção do hormônio antidiurético.

A ação desse hormônio nos rins faz com que a reabsorção da água seja estimulada, evitando que ela seja descartada pela urina. Um quadro de diabetes insípidus ocorre quando essa estrutura se torna incapaz de reter a água filtrada nos rins, que acaba sendo liberada em grandes quantidades.

Diabetes insípidus nefrogênico

Diferentemente do que ocorre no diabetes insípidus central, no tipo nefrogênico não há problemas com a ação do hormônio antidiurético. No entanto, ele acaba não conseguindo funcionar adequadamente devido a um problema nos próprios rins.

Nesse quadro, os rins deixam de responder a esse hormônio antidiurético, causando o descarte de urina diluída.

Diabetes insípidus gestacional

Essa forma fisiológica de diabetes insípidus ocorre primariamente em gestantes como consequência da produção da enzima vasopressinase, produzida pela placenta. Ela degrada a ação do hormônio antidiurético, gerando o quadro de diabetes insípidus.

Diferentemente dos demais quadros, um caso de diabetes insípidus gestacional tende a terminar com o fim da gestação. No entanto, é recomendado monitorar a doença junto ao médico que acompanha a gravidez.

Quais são os sintomas de diabetes insípidus?

Diabetes insípidus é uma condição que exibe sinais bem característicos que ajudam a diferenciá-la de seus demais tipos. Boa parte deles são relacionados ao aumento no volume de urina e o consumo exagerado de líquidos, especialmente os gelados.

Os pacientes podem começar a perceber que há algo de errado quando começam a ter episódios de noctúria, que é a necessidade de acordar no meio da noite para urinar. O volume de urina diário também se torna alto, chegando a mais de 3 litros por dia.

Estes são considerados os 4 principais sintomas de diabetes insípidus:

  1. sede extrema e frequente;
  2. urina clara e diluída;
  3. aumento do volume urinário;
  4. acordar com frequência para urinar à noite.

Quais são as causas de diabetes insípidus?

O quadro de diabetes insípidus se manifesta quando existem tumores impactando a região hipotalâmica hipofisária, na forma de germinomas, craniofaringioma e metástases de outros tumores fora do sistema nervoso.

Esse problema também pode ser causado por inflamações no sistema nervoso central, como doenças autoimunes, sarcoidose e histiocitose. 

Entre os fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes insípidus estão o histórico familiar, ou seja, a presença de doenças genéticas em parentes em algum momento da vida deles. Outro fator que aumenta as chances do surgimento do problema é o uso de medicamentos que possam danificar os rins.

O que fazer ao suspeitar da presença de diabetes insípidus?

O acompanhamento médico regular é fundamental para ficar em dia com a saúde. O diabetes insípidus pode ser detectado a partir de exames de sangue e urina quando houver uma suspeita inicial, portanto é necessário ter regularidade em suas consultas médicas para que o problema possa ser encontrado precocemente.

Nesses exames são avaliadas as concentrações de sódio e glicose, além da osmolaridade da urina e do sangue. Outro fator avaliado é o quanto o paciente se lembra de ter urinado no último dia e se essa quantidade está acima do que é considerado normal.

Dependendo da causa do diabetes insípidus, ele pode não ter cura. Nesse caso, a doença pode ser muito bem controlada pelo uso de medicamentos para que o paciente possa ter uma vida normal apesar disso. 

Como é conduzido o tratamento de diabetes insípidus?

Diagnosticado o quadro de diabetes insípidus, o tratamento se concentra nos fatores que estejam originando a causa da doença. Quando não é possível tratar esse problema originário, são empregados medicamentos capazes de imitar a ação do hormônio antidiurético, como é o caso da molécula desmopressina.

O melhor caminho a ser escolhido para o tratamento deverá ser definido pelo médico a partir das características observadas no paciente e nos exames. O problema deve ser diagnosticado logo, já que a não detecção dele pode fazer com que o sintoma de sede extrema deixe o paciente com sensação de desidratação cada vez mais grave.

Por fim, não existem formas conhecidas de se prevenir contra diabetes insípidus. O mais importante é detectar os sinais da doença o quanto antes para que ela possa ser diagnosticada e tratada pelo médico de forma precoce, antes que cause mais prejuízos à qualidade de vida do paciente.

Agora que você já conhece as principais informações sobre diabetes insípidus, conseguirá identificar os seus sinais se a doença surgir. Lembre-se da importância de fazer consultas médicas regulares para manter a sua saúde sempre em dia. Além disso, prefira sempre a orientação de um profissional médico para avaliar o seu quadro de saúde.

Fique por dentro de mais informações fundamentais para a sua saúde. Cadastre o seu e-mail no blog e comece a receber as nossas novidades!

Comentários

Você também pode gostar
-