Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
Diabetes e menstruação: confira os principais cuidados

Diabetes e menstruação: saiba quais os principais cuidados!

diabetes e menstruacao
9 minutos para ler

Ficar de olho na própria saúde implica manter esse controle em todos os períodos da vida. A diabetes e a menstruação tem relação direta com a saúde e exigem alguns cuidados.

Esse ciclo costuma durar cerca de 28 dias, durante o que a mulher passa por oscilações hormonais que ativam sua ovulação e menstruação. Tais variações, no entanto, também afetam outras partes do seu corpo, o que faz com que as mulheres com diabetes sintam alguns reflexos específicos.

É muito importante conhecer e observar esses impactos, já que eles mudam a forma como o corpo absorve e mantém o açúcar no sangue. Trata-se de um cuidado a mais para garantir bem-estar em todas as fases da vida, bastando tomar as decisões certas.

Para lhe ajudar com isso, trouxemos neste artigo os principais pontos que merecem a sua atenção quando o assunto é diabetes e menstruação. Boa leitura!

Como a menstruação interfere na glicemia?

O ciclo menstrual costuma durar cerca de 28 dias e a mulher passa por oscilações hormonais que ativam sua ovulação e menstruação. Tais variações, no entanto, também afetam outras partes do seu corpo, o que faz com que as mulheres com diabetes sintam alguns reflexos específicos.

É muito importante conhecer e observar esses impactos, já que eles mudam a forma como o corpo absorve e mantém o açúcar no sangue. Trata-se de um cuidado a mais para garantir bem-estar em todas as fases da vida, bastando tomar as decisões certas.

Os mecanismos da menstruação

Para quem segue a periodicidade recomendada para controlar os níveis de açúcar no sangue, o período menstrual pode representar um verdadeiro caos. Afinal, a glicemia tende a variar bastante antes e depois da menstruação.

O primeiro dia da menstruação é o primeiro dia do ciclo, quando o hormônio folículo estimulante (FSH) passa a ser liberado em maior quantidade. Esse hormônio faz com que os folículos do ovário comecem seu desenvolvimento.

Próximo ao sétimo dia do ciclo, a quantidade de FSH produzida começa a diminuir, de modo que apenas um folículo continue seu crescimento, fazendo aumentar a produção do hormônio feminino estradiol. Juntamente do estradiol, o hormônio luteinizante secretado pela hipófise atinge seu pico e a ação de ambos conduz à ovulação.

O surgimento da glicemia

A partir daí, o folículo passa a corpo lúteo, iniciando a produção de progesterona. Esse hormônio, entre outras coisas, gera um aumento da resistência à insulina, tornando sua absorção pelo corpo mais difícil. Isso significa que uma mesma dose de insulina pode não ser suficiente para o efeito esperado.

Outro efeito possível é o surgimento de uma sensação de fome maior, que costumeiramente acaba contribuindo ainda mais para o descontrole da glicemia. Portanto, não se preparar para esse estágio pode significar correr o risco de passar por episódios hiperglicêmicos.

O que avaliar durante a menstruação?

Entender os reflexos causados pela menstruação em quem tem diabetes é fundamental para continuar vivendo com qualidade de vida. Dessa forma, é possível se prevenir contra potenciais problemas, entender alguns desses impactos e adaptar o seu tratamento de maneira adequada.

Confira a seguir os principais pontos de atenção!

Interferência na glicemia

Quem tem diabetes sabe da importância de monitorar sua glicemia nos intervalos certos do dia a dia. Quem menstrua precisa ter ainda mais atenção, já que o ciclo menstrual pode influenciar esses níveis.

Ainda não foram feitos estudos conclusivos sobre os motivos que causam tal interferência. No entanto, o que se sabe é que cada mulher tem reflexos diferentes, alguns mais intensos e outros menos.

Intensidade do primeiro dia

O primeiro dia de menstruação de uma mulher com diabetes costuma ser bastante intenso. Isso significa um aumento repentino na glicemia, o que pode causar reflexos bastante perceptíveis na sua sensação de bem-estar.

Nesse momento, é preciso manter a calma e se planejar para tratar o caso usando as ferramentas que você já tem: o controle glicêmico e a insulina. Em casos extremos, busque a orientação do seu médico para receber uma orientação específica para as suas necessidades.

Demora na menstruação

A diabetes pode influenciar a duração da menstruação e até a época da chegada da menopausa. Também não se sabe, ainda, o motivo por trás disso, mas já se observou que quem tem diabetes tende a ter uma primeira menstruação mais tardia e ciclos menstruais mais irregulares. Além disso, sua janela reprodutiva (da menarca até o início da menopausa) tende a ser menor.

Menopausa precoce

Um recente estudo publicado no periódico Menopause, da Sociedade Norte-Americana de Menopausa, indicou que mulheres com diabetes do tipo 1 podem ser mais suscetíveis aos quadros de menopausa precoce. Além disso, seu período reprodutivo também tende a ser menor do que seria sem a influência da diabetes.

Aumento do apetite

Outro reflexo perigoso da menstruação para a mulher diabética é o aumento do apetite. Afinal, cuidar desse aspecto é fundamental para que os níveis glicêmicos permaneçam sob controle em todas as situações, especialmente quando o apetite aumenta de maneira repentina.

Isso costuma acontecer antes do período menstrual. O mais recomendado, portanto, é resistir às tentações e evitar o consumo de carboidratos refinados, para que a glicemia permaneça sob controle.

Cansaço em excesso

Mais uma relação possível entre diabetes e menstruação é um aumento da sensação de cansaço na mulher diabética que entra no ciclo menstrual. Isso, por si só, não é algo perigoso, mas pode fazer com que ela se sinta menos motivada a praticar atividades físicas.

Como sabemos, a prática de atividades físicas é muito importante para manter a diabetes sob controle durante o dia a dia. Então, mesmo com essa sensação de cansaço, é necessário realizar um bom número de exercícios como parte da rotina, para não prejudicar a sua saúde.

Dificuldade para se exercitar

A baixa concentração de estrogênio no organismo feminino durante a menstruação e as perdas com o fluxo menstrual tornam os treinos mais difíceis para mulheres em geral. Por sua vez, a atividade física reduz os teores de açúcar no sangue e, para a mulher com diabetes, existem riscos de uma hipoglicemia mais severa.

Desse modo, havendo sintomas de queda da glicose, pare o treino imediatamente. Deve-se ingerir um alimento ou bebida doce para promover a reposição dos níveis de açúcar.

Intensidade da TPM

A tensão pré-menstrual (ou TPM) é aquele período antes da menstruação que pode causar bastante desconforto físico, emocional e psicológico às mulheres. Também é possível que ela gere reflexos como oscilação de peso, fadiga, variações de humor e aumento de apetite — e tudo isso pode ser mais severo em quem tem diabetes.

Se for o seu caso, converse com o seu médico para avaliar a possibilidade de aumentar a dose de insulina nesses momentos. Afinal, lembre-se de que cada mulher tem uma intensidade de TPM diferente, que requer uma atenção especial.

Aumento do risco de câncer endometrial

O câncer endometrial costuma atingir mulheres com mais de 60 anos que já tenham entrado na menopausa. Quem tem diabetes, no entanto, precisa ter cuidado redobrado com essa doença, realizando exames preventivos para poder detectá-la cedo, caso surja.

Segundo pesquisas da área, o câncer endometrial pode ser até 4 vezes mais comum em mulheres que têm diabetes. Isso ainda é agravado quando cumprem outros fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença, como estar acima do peso recomendado.

Quais cuidados devem ser tomados?

Agora que você já viu o que ocorre durante a menstruação, veja alguns hábitos e iniciativas que podem ser tomadas e que serão de grande auxílio para reduzir os principais incômodos e riscos.

Praticar atividades físicas

Durante o período menstrual, como se viu, a prática de atividades físicas pode trazer algum desconforto hipoglicêmico para a mulher. No entanto, os exercícios físicos de rotina não devem ser suspensos, mas conduzidos com mais atenção nos dias de fluxo.

Considere que as atividades físicas são importantes para a pessoa com diabetes que deve sempre considerar a oportunidade para manter uma prática regular. O controle da diabetes é mais facilmente alcançado quando a rotina diária inclui uma atividade física, mesmo uma caminhada.

Adotar uma alimentação saudável

A alimentação é um dos pontos mais sensíveis para o controle da diabetes. Ao mesmo tempo, uma alimentação saudável é também um meio de garantir mais saúde para o corpo e melhores condições para o enfrentamento da diabetes.

Assim, medidas como reduzir o sal, escolher os carboidratos mais saudáveis e ingerir mais frutas e vegetais estão entre as iniciativas mais indicadas. As perdas durante o fluxo podem ser mais facilmente suportadas quando se dispõe de uma estabilidade nutricional promovida por uma alimentação saudável.

Fazer acompanhamento ginecológico

A mulher com diabetes tem ainda mais razões para manter um regular acompanhamento ginecológico. Em especial, sempre que observar quaisquer alterações significativas na saúde durante o seu período menstrual.

Além disso, considere que a diabetes pode aumentar a probabilidade de ocorrência de doenças ginecológicas contagiosas, principalmente quando descompensada. O acompanhamento médico pode evitar muitas complicações de modo mais fácil sempre que observadas no início.

Bom, agora que já conhece os principais pontos dessa relação entre diabetes e menstruação, certamente já compreendeu as razões da expressão formiga no sangue e sabe o que fazer. Nesse sentido, você pode começar a se atentar para a forma como o seu corpo reage nesses momentos.

Também é sempre bom estar atenta para garantir o acompanhamento médico no caso de qualquer sinal que fuja do que é considerado normal. Além disso, não deixe de seguir as orientações fornecidas para o seu dia a dia.

Se você gostou deste post, compartilhe com suas amigas nas redes sociais. Certamente elas também gostarão.

Comentários

Você também pode gostar
-