Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

x
x
Dia Mundial do Diabetes: saiba sobre o dia 14 de Novembro

Dia Mundial do Diabetes: saiba sobre o dia 14 de Novembro

dia mundial de diabetes
6 minutos para ler

Quando chega novembro, sabemos que estamos próximos de uma data muito importante: o Dia Mundial do Diabetes. A data é celebrada no 14º dia do mês e visa, sobretudo, a conscientizar a sociedade sobre a condição.

Antes de tudo, é importante ressaltar que o diabetes é uma doença crônica. Isso quer dizer que ela não tem cura. Calma, não se desespere! O ponto-chave não é esse, mas, sim, o fato de ser uma condição passível de controle.

É por meio do manejo adequado que a pessoa com diabetes apresenta uma boa qualidade de vida e bem-estar. E é justamente por isso que a população deve ser conscientizada sobre prevenção e tratamento. Continue a leitura!

Saiba mais sobre o Dia Mundial do Diabetes

As condições de saúde estão diretamente relacionadas com o estilo de vida da população. Com a correria diária, muitas vezes, fica difícil tirar um tempinho para atividades físicas ou mesmo para alimentação adequada.

Trazendo para nossa realidade, o excesso de peso e o sedentarismo figuram como importantes fatores de risco para o diabetes. Assim, contribuem não só para o desenvolvimento da condição, mas também para o maior risco de complicações.

Por isso, a Federação Internacional de Diabetes criou o Dia Mundial do Diabetes. O 14 de novembro reforça a educação em saúde acerca da doença. Além de abordar prevenção, ressalta também alternativas para o bom controle da doença.

Entenda a importância da data

Embora já tenhamos comentado sobre a grande missão da data, é interessante reforçar alguns outros aspectos. Veja a seguir!

Conhecer os tipos de diabetes

Como assim? Não existe só um tipo? Não! Na verdade, existem vários, mas alguns são bem mais prevalentes. O principal deles é o diabetes mellitus (DM), mas, mesmo assim, há uma classificação.

No tipo 1, vemos uma doença autoimune. Assim, o pâncreas — responsável pela produção de insulina — terá suas células destruídas pelo próprio corpo. Dessa forma, o indivíduo não produz insulina para captar a glicose presente no sangue.

Já o tipo 2 está mais associado aos estilos de vida. Neste caso, pessoas com excesso de peso desenvolvem, gradualmente, resistência à insulina.

Com o tempo, essa resistência provoca sobrecarga pancreática e, gradualmente, as células ficam tão acometidas que diminuem a produção do hormônio.

Existe, ainda, a DM gestacional. Neste caso, ela é restrita ao período de gravidez, ou seja, da mesma forma que se desenvolve durante a gestação, ela desaparece após o parto.

Descobrir os sintomas

Primeiro, tenha em mente que os sintomas da DM 1 aparecem de forma abrupta, afinal, não há produção de insulina. Já na DM 2, como a evolução é progressiva, as manifestações começam discretas.

Como a insulina não capta a glicose presente no sangue, esse carboidrato tende a acumular e provocar lesões nos pequenos vasinhos. São esses distúrbios que vão acarretar complicações renais, retinianas, dentre outras.

Agora, falando sobre os sintomas em si, a pessoa tende a urinar mais vezes, além de sentir mais sede. Como a glicose não é captada para produzir energia, podemos observar perda de peso, tonturas e até fraqueza.

Esclarecer a importância do diagnóstico

A partir dos sintomas, você já pode imaginar o que acontece se não acontecer o controle glicêmico. 

As lesões nas paredes dos vasos são muito graves. Nos rins, por exemplo, se os pequenos vasinhos não estiverem íntegros, a filtração do sangue vai ser prejudicada. Pensando nos olhos, se a retina não for bem nutrida, a pessoa pode até ficar cega!

Por isso, o diagnóstico deve ser feito na fase inicial da doença. Mas, afinal, se os sintomas demoram a aparecer, como isso é possível? Bem, um simples exame laboratorial pode indicar níveis glicêmicos elevados. Então, não abandone seu médico!

Sabe-se que 50% dos casos em adultos não são diagnosticados. Isso é um valor muito alto e que as pessoas devem combater por meio de consultas de rotina.

Saber como afeta o mundo

Por fim, muitas vezes, não se imagina como o diabetes é prevalente no mundo. Em 2017, o percentual de pessoas com a condição chegava em torno de 8,8% no mundo. A previsão é que, em 2045, mais de 628 milhões de indivíduos sejam acometidos.

Diabetes é assunto sério! Uma glicemia elevada é o terceiro fator mais importante de mortes prematuras. Veja bem: isso reforça que o controle da condição é essencial para uma boa qualidade de vida.

É por isso que as políticas de conscientização devem colocar em prática. Além dos prejuízos para a própria pessoa, a condição descompensada também é um problema de saúde pública:

  • maior uso de serviços de saúde;
  • mais índice de doenças cardiovasculares;
  • elevada incidência de complicações;
  • sobrecarga dos sistemas de saúde no mundo.

Conheça maneiras de prevenção e tratamento

Agora, sim, para fechar com chave de ouro, vamos conhecer as maneiras de prevenção! Antes de tudo, vem a prevenção primária — aquela antes de a condição se instaurar! As pessoas com diabetes devem se basear em bons hábitos de vida.

Já a prevenção secundária vai acontecer depois do diagnóstico. É ela que vai buscar evitar as complicações decorrentes. Por isso, os bons hábitos continuam sendo recomendados, mas devemos reforçar o controle glicêmico.

Por fim, a prevenção terciária visa a reabilitar as pessoas depois que as complicações aparecem. Viu como é possível intervir em qualquer etapa do processo? Claro, o ideal é focar na primária e na secundária Então, muito cuidado!

De forma geral, o tratamento vai depender do tipo de diabetes e como está o nível de glicemia. Na DM 1, por exemplo, as injeções de insulina são realmente necessárias — afinal, o corpo não produz. 

Já na DM 2, existem outros medicamentos para auxiliar no manejo. Porém, o grande destaque vai para uma vida mais ativa e uma alimentação equilibrada.

De fato, o Dia Mundial do Diabetes vem para conscientizar a população. Porém, a busca por informações não deve restringir-se a um único dia no ano. Por isso, vamos finalizar com duas dicas de onde se informar: Sociedade Brasileira de Diabetes e blog WinSocial. Em ambos os locais, você vai encontrar a condição sendo abordada nos seus diferentes aspectos, inclusive, com dicas para uma melhor qualidade de vida.

Ah, aproveitando o contexto, venha saber como a vacinação é importante para pessoas com diabetes!

Comentários

Você também pode gostar
-