Tecnologias para ajudar a monitorar sua glicemia

tecnologia-glicosimetro
8 minutos para ler

Glicosímetro, sensor de glicemia e aplicativos, tornam a vida da pessoa com diabetes mais prática e segura. E sem dúvida nenhuma, a tecnologia é essencial em vários aspectos quando falamos de melhora na qualidade de vida das pessoas com diabetes. Vamos falar um pouco sobre essas tecnologias?

 

Aspectos psicológicos

Já vi pessoas que quando explico o que é o glicosímetro ou o sensor grudado no meu braço, ficam assustadas e dizem coisas do tipo “Mas você fica neurótico com isso!” ou “Que preocupação, esquece isso!”. Outras, dizem “Que maravilha, você pode ficar muito mais tranquilo!” ou “Muito melhor e muito mais prático né?!”. Percebe que em ambos os casos, a situação é exatamente a mesma? O que para uns pode ser um terror, para outros pode ser uma maravilha, ou seja, tudo depende do tipo de perspectiva que tenho ou que escolho ter a respeito de uma situação.

Hoje a tecnologia nos permite uma monitoração contínua e com um nível de precisão suficiente, para que com algum treinamento e entendimento básico do funcionamento fisiológico da glicemia, possamos ter uma boa noção dos níveis e tendências glicêmicas. Ok, isso já sabemos né? E como encaramos este tipo de informação disponível o tempo todo? Podemos nos posicionar como prisioneiros dos gráficos ou podemos nos basear nos mesmos gráficos e números disponíveis, mesmo que seja no seu glicosímetro de medir na pontinha do dedo, para nos libertar dos rótulos e impedimentos que nossos conhecidos, amigos e até familiares, insistem em nos colocar, por conta de uma forte cultura de desinformação que fomos expostos por décadas a respeito do diabetes.

Então, quando alguém, mesmo que seja um familiar, te rotular ou impor uma incapacidade a você, ele não faz por mal, e sim porque ele também absorveu um tipo de conhecimento de senso comum sobre o diabetes que provavelmente você também absorveu, mas teve a oportunidade de ter algum tipo de informação que te colocou em um degrau de educação em diabetes um pouco acima.

Agora que você percebeu o quanto foi exposto aos mitos em torno do diabetes, já entende que o seu posicionamento em relação a algo ou alguma situação, é mais definitivo que a própria situação. Entendido isso, vamos compreender um pouco mais sobre a importância do monitoramento da sua glicemia.

A importância do monitoramento da glicemia

Imagine você se equilibrar em uma corda, dessas que se fixam em árvores, a cerca de um metro do chão. Agora imagine que de um lado da corda está uma hiperglicemia e do outro uma hipoglicemia! Essa situação já parece suficientemente desafiante né? Agora imagine você se equilibrando nesta mesma corda, porém agora com os olhos vendados. Manejar o diabetes sem monitorar a sua glicemia é o mesmo que andar na corda bamba, com hiperglicemia de um lado, hipoglicemia do outro e os olhos vendados.

Deming já disse “não se gerencia o que não se mede”¹, o mesmo vale para o nosso manejo do diabetes. O sucesso a curto prazo, ou seja, conseguir prever e evitar aquelas hipos e hiperglicemias está ligado diretamente ao monitoramento da glicemia, e isto se reflete também no sucesso no longo prazo. Afinal, cada minuto que forma uma hora é importante, cada hora que forma um dia inteiro é importante também, cada dia que compõe um mês, cada mês que tem um ano e cada ano que forma uma década inteira tem importância e reflete no todo.

Então aquela furadinha no dedo duas horas depois do almoço, ou aquela economia de não ir ao cinema no final de semana, podem te ajudar a economizar e ter mais tiras de glicosímetro ou aquele sensor que irá tornar mais prática e rápida a verificação, diminuindo a necessidade das medições capilares. Além disso, essa tecnologia te deixa mais focado e consciente do comportamento de variabilidade da sua glicemia em várias situações diferentes, como depois de um lanche, depois de tomar um suco, chupar uma bala, acordar mais tarde ou mais cedo que de costume, passar por uma situação de nervosismo ou relaxante. Por fim, monitorar mais vezes com um glicosímetro, ou com um sensor, te deixa mais treinado para compreender de maneira mais clara como tudo influencia sua glicemia.

 

Glicosímetro e sensores descomplicam sua vida

Antes de começar, cabe ressaltar que a idéia aqui não é de indicar marcas e modelos, mas sim o conceito de aparelhos que são bem fáceis de se achar no Brasil.

Existem várias tecnologias hoje que facilitam a monitoração nossa de cada dia, mas vou começar falando do básico. Sim a monitoração da glicemia capilar, mais conhecida como a ponta de dedo. Bom, você que chegou até aqui, parabéns, você está em um bom caminho, pois acredito que já tenha entendido que a monitoração da glicemia é a uma das partes mais importantes do tratamento – se não a mais importante – e ela depende diretamente do seu compromisso com sua saúde!

Então, começando pelo básico, a medição da glicemia capilar. Sabemos que um dos maiores desestimuladores que já existiram na história do diabetes era a necessidade de anotar todos aqueles números, horários e o que comeu, naqueles caderninhos com tabelinhas, que precisávamos andar pra lá e pra cá o tempo todo. A boa notícia é que se isso era ou ainda é um fator desestimulador para você, seus problemas se acabaram!!! Hoje, um bom glicosímetro armazena todos os resultados com horário (até aí sem novidades!) e possuem integrações com programas de computador, que podem ser baixados por você ou pelo seu médico.

Ainda, essas novas tecnologias permitem a emissão de relatórios com gráficos bem detalhados, que irão dar um super panorama do seu manejo glicêmico que nenhum caderninho conseguiria. Lembrando que não existe essa de um relatório ruim, existe o seu relatório que mostra a sua realidade, e junto com seu médico, você pode mudar pontos para melhorar o seu manejo da glicemia!

Powered by Rock Convert

Aplicativos

Com relação aos aplicativos, se abre uma infinidade de possibilidades, a começar pelos que ajudam no controle glicêmico junto com um glicosímetro. Neles, podemos inserir: resultados de glicemias capilares, quantidade de insulina de bolus, de correção e basal. Ainda, alguns exibem até o tempo de ação e a quantidade de insulina ativa desde a última aplicação. A vantagem no uso desse tipo de aplicativo é que além de dar uma super injeção de motivação, os dados ficam visíveis e é fácil entender e melhorar os resultados, obtemos autoconhecimento em um tempo muito mais curto, sendo a curva de aprendizado muito menor do que somente estivéssemos usando um glicosímetro.

Novamente, a idéia aqui não é indicar um aplicativo em específico, nem passar uma lista enorme e desnecessária, mas sim, deixar alguns aplicativos que já usei ou que conheço pessoas que já usaram, para que você escolha o seu! São eles:

 

  • MySugr, Glic, Diabetes Studio, Diabetes:M

 

No contexto da contagem de carboidratos, para quem usa essa estratégia, o Glic, citado acima também possui esta funcionalidade, além dos aplicativos de dieta e exercício físico, que exibem a tabela nutricional de vários alimentos, como o FatSecret e o MyFitnessPal. Temos ainda, o aplicativo da Sociedade Brasileira de Diabetes chamado Contagem de Carboidratos, sendo a fonte mais atual e mais confiável de todas no contexto do diabetes para essa atividade.

 

Sensores

O principal conceito do funcionamento dos sensores, quando comparados aos glicosímetros, é que todos os sensores trabalham com glicemia do líquido intersticial e não com glicemia capilar. Em outras palavras, o sensor informa a glicemia medida em um líquido da pele, que reflete com uma proximidade aceitável a glicemia que está no sangue da capilaridade.

Por outro lado, é possível haver algum atraso nesta contagem quando há variação glicêmica, por isso, quanto mais tempo a glicemia estiver estável, maior será a tendência de precisão na contagem de glicemia no interstício. (Ver artigo detalhado sobre sensores de glicemia)

De forma geral, apesar de hoje termos disponíveis diferentes tecnologias para atender cada tratamento, é preciso acima de tudo compreender as necessidades e escolhas de cada pessoa. Estamos entendidos?

Espero ter ajudado você a entender um pouco mais sobre a importância de ter um posicionamento positivo em relação a monitoração glicêmica, e como isso se reflete a curto e longo prazo na sua saúde.

 

Um grande abraço!

Mário Márcio | Educador em Diabetes e Fundador da Academia dos Novos Diabéticos

Comentários

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-