Alimentos Diet, Light e Zero: Qual a diferença?

diet light zero
6 minutos para ler

Existem 3 tipos de nomenclaturas para diferenciar alimentos industrializados no mercado: diet, light e zero. Você sabe o quê significa cada um? Para quem tem diabetes, saber as diferenças é ainda mais importante, visto que os alimentos consumidos podem impactar diretamente na glicemia, sendo preciso ajustar as doses do medicamento (oral ou insulina) em algumas situações. Vamos descobrir cada um?

 

DIET

O alimento diet se refere à ausência de um dos ingredientes como o açúcar, a gordura, o sódio etc, o que não quer dizer que ele seja necessariamente mais saudável. A maioria dos alimentos diet também contém carboidratos, que podem alterar a glicemia. Vou falar mais sobre isso na sequência.

 

LIGHT

O alimento light se refere a uma redução de pelo menos um dos ingredientes ou uma combinação deles. Por Lei, os produtos light obrigatoriamente devem conter 25% a menos de calorias ou de algum nutriente como o sal, o açúcar, a gordura ou as proteínas, o que nem sempre representa uma redução significativa e que traga benefício para sua saúde.¹

 

ZERO

Assim como o diet, esse alimento possui a exclusão total de algum componente e pode ser zero açúcar, zero gordura, zero sódio, entre outros. Quando um alimento é zero por isenção de açúcar, pode ser consumido por portadores de diabetes – Em teoria. Na prática, vou contar um relato sobre quando consumi um alimento ZERO AÇÚCAR que fez subir a minha glicemia. Pra quem não sabe, tenho diabetes tipo 1 e preciso injetar insulina diariamente, ajustando a dose de insulina em cada refeição para que meu plano alimentar possa ser bem flexível e eu tenha liberdade para comer.

 

” Estava jantando em um restaurante com mais 6 amigos com diabetes e pedimos um refrigerante ZERO AÇÚCAR. O garçom nos informou que só tinha o da marca WEWI. Confirmamos com ele se era ZERO mesmo, pois tínhamos diabetes e ele disse que sim. Quando chegou o refrigerante, a embalagem de fato dizia ZERO AÇÚCAR. Não vimos problema e consumimos sem preocupação. Em dado momento do jantar, antes de chegar nossos pratos, graças a um sensor de monitorização contínua de glicose, percebi que minha glicemia estava subindo sem sentido, visto que só havia consumido o tal refrigerante zero. Achamos estranho e fomos olhar a tabela nutricional do refrigerante. BINGO! Tinha carboidratos.

Pra quem não sabe, carboidratos são biomoléculas que se transformam em glicose no nosso organismo (traduzindo: afetam a glicemia sanguínea da pessoa com diabetes). Há uma diferença entre os carboidratos simples e complexos, mas isso é papo para outro dia… o que importa aqui é saber que eles podem (e na maioria das vezes vão) fazer subir a glicemia da pessoa com diabetes, se não tiver insulina o suficiente para suprir a ingestão dele.

Escrevi nas redes sociais sobre o ocorrido e a marca de refrigerante entrou em contato dizendo que de fato era sem açúcar, pois eles usavam um tipo de adoçante natural para ser orgânico e tal. Só que este adoçante em particular contém carboidratos. Respondi a eles que eu tinha diabetes tipo 1 e precisava aplicar insulina para qualquer quantidade de carboidrato que fosse consumido. Pedi que pelo menos avisassem no rótulo que havia carboidratos, porque eu não conhecia nenhum outro refrigerante entitulado ZERO que tivesse glicose em sua composição. Não tive resposta.”

Em resumo, aconselho a quem tiver diabetes a sempre checar a tabela nutricional antes de consumir qualquer alimento (seja industrializado ou de um alimento natural). O carboidrato não é vilão, ele é quem ajuda o nosso corpo a nos manter com energia, mas precisamos saber o impacto dele em nossas glicemias e saber quando o estamos consumindo.

Pra quem é indicado cada tipo de alimento?

 

DIET

O alimento diet é indicado para quem precisa restringir algum tipo de alimento, podendo até conter mais calorias do que um do tipo convencional. Por exemplo, o chocolate diet não contém adição de açúcar, porém, é mais calórico do que o tradicional, pois tem um teor maior de gorduras. Também pode conter carboidratos, que como falei acima, pode afetar a glicemia. Logo, é preciso cuidado na sua ingestão se você tiver diabetes.

LIGHT

Já o produto light é indicado para quem quer reduzir calorias, pois geralmente é menos calórico que os outros produtos na versão tradicional.

Ao se alimenta, a pessoa com diabetes deve reduzir ou até restringir o consumo de açúcar. Na sua grande maioria, quem tem DM2 costuma restringir por completo no seu dia a dia. Por outro lado, quem tem DM1, por fazer a reposição da insulina por meio de aplicações no corpo, tende a ter um pouco mais de liberdade na escolha dos alimentos, pois a dosagem de insulina é calculada exatamente para o que come.

Powered by Rock Convert

ZERO

Mesma indicação dos alimentos diet, mas com um pouco mais de liberdade. Como o nome já diz, tem ZERO de uma determinada substância, então em teoria, pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 podem consumir produtos Zero Açúcar sem restrição.

 

É preciso atenção!

Esses alimentos podem conter outros ingredientes em excesso, por exemplo, quando se tira totalmente o açúcar, o sabor pode ficar prejudicado. Para compensar, é colocado outro ingrediente (gordura ou sódio) em quantidade maior, disfarçando o gosto do adoçante e mantendo a consistência, o que acaba somando calorias. Além do açúcar, o diet também pode ser isento de sódio, gordura ou proteína. Neste caso, quando se retira esses nutrientes, o teor de carboidratos será maior.

Zero ADIÇÃO de Açúcar é diferente de Zero Açúcar: alguns produtos industrializados costumam usar o termo zero adição de açúcar para falar que não foi adicionado essa substância em sua composição. No entanto, o ingrediente principal pode conter nutrientes que futuramente irão se transformar em glicose no organismo. É o caso do suco de caixinha, que tem frutose –  o açúcar natural da fruta –  na sua composição.

 

Conclusão

É preciso prestar bastante atenção aos rótulos dos alimentos industrializados. O ideal mesmo seria consumir somente alimentos naturais e orgânicos, mas nossa sociedade ainda não chegou neste patamar. Então, fique atento à quantidade dos nutrientes na tabela nutricional: carboidratos, calorias, açúcares, fibras, gorduras, entre outros, e converse sempre com o seu nutricionista sobre o consumo desses alimentos na sua dieta.

 

E aí, gostou do texto? Deixe a sua opinião aqui embaixo nos comentários 🙂

Até a próxima,

Beatriz Scher | Especialista em Marketing de Conteúdo de Diabetes, Fundadora do Biabética

Conteúdo revisado por:

Noelly Dantas | Nutricionista e Educadora em Diabetes

 

Fontes:
¹ Lei dos alimentos Diet e Light

 

Comentários

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-