Conheça quais são os 7 principais benefícios do crossfit para quem tem diabetes!

6 minutos para ler

Você já ouviu falar no crossfit? Criado por um ex-ginasta chamado Greg Gassman, esse é um treinamento de alta intensidade que vem ganhando muita importância nos últimos anos, ficando bastante famoso nos EUA, no Brasil e no resto do mundo. Seu foco está no condicionamento físico sem se deter a músculos e regiões específicas, utilizando-se de exercícios físicos funcionais. Mas o mais interessante, nesse caso, é que existem benefícios do crossfit para quem tem diabetes.

Ao contrário de outras atividades físicas, nas quais a intenção principal de muitos praticantes é voltada apenas para a estética, o crossfit se caracteriza pela busca de uma melhora na capacidade física — apesar de ter a tonificação muscular e a perda de peso como consequências. Esse contexto favorece pessoas com diabetes, pois existem inúmeros ganhos em relação à saúde e vantagens que trazem impacto positivo na glicemia.

Então, quer saber quais são os 7 principais benefícios do crossfit para quem tem diabetes? Acompanhe!

Principais benefícios do crossfit para pessoas com diabetes

1. Emagrecimento eficiente

Um benefício visível proporcionado pela prática do crossfit é a perda de gordura, inclusive o excesso de tecido adiposo visceral, que fica acumulado dentro da cavidade abdominal e causa a aparência de “barriga de chopp”, difícil de ser perdida.

O que ocorre no crossfit é que, por exigir uma atividade intensa do sistema nervoso simpático durante a prática, o corpo libera hormônios e neurotransmissores que se ligam a essa gordura e promovem a queima de modo acelerado. Esse fato não se observa com tamanha magnitude em exercícios aeróbicos de baixa intensidade, como caminhadas leves.

2. Expansão da mobilidade muscular

Esse é um resultado natural dos variados movimentos funcionais que envolvem um treino de crossfit. Nas aulas, você não faz apenas exercícios simples para os grupos de músculos, mas move seus membros em todas as direções. Além disso, ao aprender as formas adequadas de levantar os pesos e barras do chão e mantê-los sobre as costas, por exemplo, o aluno diminui significativamente o risco de lesões na vida rotineira.

3. Melhoria no condicionamento físico

O crossfit é uma atividade criada para dirigir o foco do praticante nos domínios de força, potência, coordenação, resistência, equilíbrio, flexibilidade, velocidade, agilidade e precisão. Essas características são conquistadas com por meio de adaptações neurológicas e hormonais em todas as vias metabólicas do organismo. Graças à grande variedade de movimentos, o aluno experiencia uma completa transformação da qualidade de vida pessoal.

4. Aumento da flexibilidade

Assim como o benefício da mobilidade, a flexibilidade é outro fator essencial para o bom funcionamento do corpo. Ela é responsável por melhorar a amplitude dos movimentos dos membros e facilitar a execução de diferentes exercícios.

O treino de crossfit proporciona esse ganho para o organismo, justamente pela prática de repetições, alongamentos e movimentos específicos durante as aulas, que estimulam a flexibilidade. Quanto mais flexível é o aluno, menores as chances de que ele sofra com lesões, como estiramentos, e melhor é seu fluxo sanguíneo, que chega nos músculos com mais facilidade e contribui para a boa saúde do corpo.

Powered by Rock Convert

5. Diminuição da resistência à insulina

Praticar exercícios de alta intensidade, como é o caso do crossfit, pode ajudar as pessoas com diabetes a se tornarem mais sensíveis à insulina e, assim, controlarem melhor seus níveis de glicemia. É o que diz o estudo publicado por uma equipe do Instituto de Pesquisa de Cleveland, Ohio, nos EUA.

No decorrer da pesquisa, os cientistas analisaram por seis semanas 13 pessoas com 53 anos de idade, todas com diabetes do tipo 2 e classificadas com sobrepeso ou obesidade. Durante o estudo, o grupo praticava aulas de crossfit três dias por semana, em sessões de 8 a 20 minutos. Ao final do período de teste, foi notada uma melhora na capacidade dos participantes de controlar os níveis de açúcar no sangue, reduzindo, assim, a quantidade de insulina necessária a longo prazo.

Porém, é preciso atenção: treinos de alta intensidade podem aumentar a glicemia da pessoa com diabetes no momento do exercício e durante algumas horas após o término. Por este motivo, recomendamos que converse com o médico antes de decidir iniciar a atividade e monitore os níveis de glicemia antes e depois do treino.

6. Redução do risco cardiovascular

O mesmo estudo mostrou que os praticantes desse tipo de exercício apresentaram redução de pressão arterial diastólica, de lipídios e de massa gorda, enquanto aumentaram a oxidação da gordura basal e a sensibilidade à insulina. Essa combinação de resultados ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares e a melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes do tipo 2.

Logo, a prática de crossfit para esses pacientes se mostra ainda mais fundamental para ajudar a controlar a doença.

7. Sensação de motivação

É importante que pessoas com diabetes se exercitem, mas há quem possa achar monótona a rotina de uma academia convencional. Nesse sentido, o crossfit pode ser uma opção interessante. Isso porque os exercícios são constantemente variados, não existindo monotonia. Então, tanto para quem não está acostumado a praticar atividades físicas como para quem fica entediado facilmente em academias, essa pode ser uma ótima saída.

Além dos pontos positivos do crossfit citados acima, é importante lembrar que a prática de atividades físicas ajuda a manter o equilíbrio físico e mental, além de controlar o diabetes. A prática é um dos pontos principais no tratamento do diabetes tipo 1 e tipo 2 e as principais vantagens incluem:

  • diminuição da resistência à insulina (sensibilização dos receptores de insulina);
  • melhora na ação da insulina injetável;
  • diminuição das doses de insulina (diabetes tipo 1);
  • diminuição do risco de complicações crônicas (diabetes tipo 1);
  • auxílio no controle da hipertensão arterial;
  • redução do risco cardiovascular.

Vale lembrar que pessoas com diabetes devem ser supervisionadas por um profissional de educação física monitorando a glicemia para prevenir hipoglicemias. O ideal é iniciar a atividade com a glicemia entre 120 mg/dl a 250 mg/dl, por isso, consulte seu endocrinologista antes de implementar uma rotina de exercícios. De qualquer modo, converse com o seu médico sobre os benefícios do crossfit e mostre o que você aprendeu sobre essa modalidade. Afinal, cada vez mais pessoas com diabetes vêm se beneficiando desse tipo de treinamento.

E então, o que você achou deste conteúdo sobre os principais benefícios do crossfit para quem tem diabetes? Gostou? Então, aproveite para nos seguir no Instagram e Facebook para ficar por dentro das nossas novas publicações!

Comentários

Você também pode gostar
-